Blog do ROGER PERSONAL


QUE 2016 SEJA DE MUITA SABEDORIA

 

"NÃO EXISTE EQUIPAMENTO DE EXERCÍCIO FÍSICO MAIS COMPLETO DO QUE NOSSO PRÓPRIO CORPO".

 

VAMO Q VAMO

 

 

Sou professor ROGÉRIO PEDROSO, 39 anos, graduado em Educação Física, especialista em Musculação e Treinamento a 15 anos. Professor de Ginástica (aula de ginástica funcional CORE CONTROL) na academia Italy, unidade Anchieta em São Bernardo do Campo.

Prestação de serviço como PERSONAL TRAINER na própria academia e também em RESIDÊNCIAS e CONDOMÍNIOS.


CONTATO:

  • 11 - 99354-1557
  • 11 - 97413-4186
  • 11 - 4125-6977 (ACADEMIA ITALY ANCHIETA).

 

 



Escrito por Rogério Pedroso às 23h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




CORE CONTROL - ACADEMIA ITALY FUNCIONAL

Ginástica funcional da Academia Italy - Unidade Anchieta, São Bernardo do Campo, aplicada nas manhãs de quartas e sexta-feiras. Olhem só a PEGADA: 

 



Escrito por Rogério Pedroso às 15h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




CORE 360° - PILARES DO TREINAMENTO



Escrito por Rogério Pedroso às 15h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




VÍDEOS CORE ACADEMIA ITALY



Escrito por Rogério Pedroso às 14h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




LEIS DO TREINAMENTO FUNCIONAL

Para entender bem a "funcionalidade" corporal é necessário compreender até onde se pode chegar com os treinamentos - respeitar os próprios limites, conhecer suas limitações, saber trabalhar o corpo de forma global e inteligente no intuito de aproveitar todos os ganhos. Para tudo na vida existem princípios e regras que nos norteiam e nos ajudam para um melhor entendimento e bem-estar geral e específico, assim, cabe aqui ressaltar 10 LEIS que são sustentadas no TREINAMENTO FUNCIONAL, para que os praticantes possam assimilar com destreza o alicerce do CORE 360°:

  • 1) Pense nos seus músculos como FERRAMENTAS e NÃO COMO TROFÉUS. Seu treino não deve se restringir a puxar e empurrar, além disso você deve LEVANTAR, RODAR, SALTAR e CORRER fazendo seu corpo se tornar mais inteligente e funcional;

  • 2) Treine o CENTRO antes das extremidades. Fortaleça o CORE (região lombo-pélvica-quadril) porque é a partir dessa região que o corpo gera ESTABILIDADE e PRODUZ FORÇA;

  • 3) Qualidade de movimento é o ponto de partida. Todos os exercícios devem ter como meta uma EXECUÇÃO LIMPA, EFICIENTE E EM BOA POSTURA;

  • 4) Treine mais NA POSIÇÃO EM PÉ do que sentado ou deitado. Quando o movimento parte do chão e você está em pé, as forças produzidas envolvem o corpo todo, da mesma forma em que é exigido na vida real;

  • 5) Seu programa de treino deve ser GLOBAL. Força, Equilíbrio, Velocidade, Resistência, Agilidade, Potência, Mobilidade e Flexibilidade são as qualidades físicas que sempre devem ser estimuladas;

  • 6) VOCÊ É TÃO FORTE QUANTO O SEU ELO MAIS FRACO. Tornar seu corpo mais equilibrado entre o lado direito e o lado esquerdo, a cadeia anterior e posterior, a extremidade superior e inferior vai ter um impacto positivo sobre todos os objetivos;

  • 7) RESPEITE SEUS LIMITES, MAS ACEITE O DESAFIO. Você aproveita pouco do seu real potencial de movimento, use cada sessão de treino para conhecer seus limites e vencê-los, seja você um atleta de alto nível ou alguém que está iniciando um programa de condicionamento, sempre existe espaço para progresso;

  • 8) USE O CORPO DE FORMA INTEGRADA E NÃO ISOLADA. Envolva todo o Sistema Neuro-Muscular em atividades onde se busca sinergia sempre;

  • 9) Um programa de CORE 360° Treinamento Funcional EFICIENTE vai ALÉM DO TREINO. Além de boas sessões de condicionamento, COMER, DORMIR e se RECUPERAR com qualidade são fundamentais;

  • 10) Divirta-se. Faça do seu treino seu playground, acreditar no que se faz e se divertir fazendo, é o que gera resultados a curto, médio e longo prazo.


Escrito por Rogério Pedroso às 14h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A MUSCULAÇÃO E O EMAGRECIMENTO

Grandes pesquisas comprovam o EQUÍVOCO que se tornou o simples fato de praticar somente exercícios aeróbios, ou seja, apenas esteira, bicicleta, atividades de “endurance”, para a redução da gordura corporal. Existe um MITO de que a MUSCULAÇÃO tem única e exclusiva finalidade de aumentar a massa magra, isto é, fazer com que os indivíduos tenham MÚSCULOS MAIS ACENTUADOS.

 

“A musculação pode ser tida como uma das melhores opções em todos os aspectos, desde prevenção de patologias, ganho de massa muscular, tratamento de enfermidades, e, claro, redução da gordura corporal”.

Trabalhos feitos por vários autores, comparando pessoas que somente praticam exercícios aeróbios, pessoas que somente praticam musculação, aqueles que conciliam as duas modalidades e outros que somente controlam a dieta, os resultados, em sua maioria, apontam que a população que somente corre, pedala, etc, perde peso, porém, ou não altera em nada a massa magra ou consegue significativa perda de peso magro (muscular).

 

“Quando se realizam intervenções com o objetivo de reduzir o peso, um dos maiores problemas que se encontra é diminuição do metabolismo de repouso, ou seja, passa-se a utilizar menos energia, facilitando a recuperação da gordura perdida”.

 

 

Deve-se, portanto, realizar atividades intensas para uma maior produção de gasto calórico com elevação na taxa metabólica, daí mencionar que a MUSCULAÇÃO pode ser ORIENTADA (professor competente) para ter característica intervalada de alta intensidade e trazer os benefícios citados anteriormente. A maioria da evidências sugere que o metabolismo basal está relacionado com a quantidade de massa magra, logo, O TREINAMENTO COM PESOS é um excelente meio de REDUZIR O PERCENTUAL DE GORDURA (e mais: estimula a síntese de proteínas musculares melhorando sua estética e funções do aparelho locomotor).

 

“Pode-se correr na esteira a vida inteira e até mesmo se tornar um maratonista que o metabolismo permanecerá igual, a menos que se ganhe massa muscular!”.

 



Escrito por Rogério Pedroso às 14h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O que é TREINAMENTO FUNCIONAL?

Antes de mais nada, deve-se entender os conceitos dos dois termos: TREINAMENTO e FUNCIONAL.

TREINAMENTO, segundo o "Dictionary of Sport and Exercise Sciences" é definido como qualquer programa de exercícios desenvolvido para aprimorar a capacidade do indivíduo desenvolver uma atividade específica.

Já o "Dicionário Houaiss" trata o termo FUNCIONAL como algo que foi concebido e executado para ter maior eficácia nas funções que lhe são próprias.

Muito tem se vinculado na mídia a respeito de atletas que utilizam esse tipo de treinamento (nadadores, ciclistas, corredores, atletas de esportes coletivos), principalmente fora do Brasil - daí os adeptos de ginástica e musculação podem questionar a utilização desse tipo de treino devido a não serem atletas e, já que não praticam nenhuma atividade específica, por que praticar o treinamento funcional? PARECE TREINO DE CIRCO!!!!!!!!!!!!!

Com a evolução tecnológica, a facilidade e o conforto para a realização de ações que antes eram essencialmente físicas tornaram o homem menos funcional - nos dias atuais, verifica-se a baixa qualidade de movimento por parte de adolescentes e crianças de 7 a 11-12 anos que, precocemente, preferem se tornar adultos mais cedo perdendo todo o grande período de infância, fase essa deteriorada não só pela modernidade (computador e videogame) como também pela falta de preparo das escolas no que diz respeito às aulas de Educação Física (falta de inclusão de meninos e meninas descoordenados e/ou fora dos perfis de estética) - não existem mais aquelas brincadeiras de antigamente como "Mãe da rua, Rouba Bandeira, Pega-pega, Esconde-esconde" devido também à violência das cidades - com isso, os futuros adultos vão sentir na pele a grande perda dos principais padrões de movimento como correr, saltar, pular, lançar, agachar,etc.

 “A função sempre deve vir antes da forma”

 Que tal uma forma de treinamento com a finalidade de integrar as capacidades físicas através de estímulos variados, envolvendo diversos ângulos e planos de movimento, ou seja, aplicando exercícios que contenham as habilidades motoras e sua ampla variabilidade, tendo por finalidade o oferecimento de condições de qualquer indivíduo aplicar essa integração de movimentos (transferência), seja para uma modalidade específica, ou mesmo para atividades do dia-a-dia?

 Analisando esses fatos, é necessário ter como objetivo o resgate, através de um programa de treinamento individualizado e específico, da capacidade funcional do homem moderno, independente de seu nível de condição física e das atividades que ele desenvolva.



Escrito por Rogério Pedroso às 14h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC) e sua GRANDE influência nos ganhos de MASSA MUSCULAR

Hipertrofia, termo muito discutido e almejado nas academias; indivíduos que desejam iniciar a musculação, principalmente homens adoram essa palavra - é primeira coisa mencionada para um professor de musculação no momento de declarar o seu objetivo - muitas vezes nem sabe o que significa, entretanto, fala assim mesmo: " EU QUERO HIPERTROFIA!!!!!!!!!!!!!!". As mulheres, ainda tímidas (embora isso está mudando), também já mencionam esse conceito no intuito de ter como grande meta o aumento de massa muscular dos membros inferiores (coxas, glúteos, panturrilhas as vezes) e até de membros superiores, tudo para a diminuição de gordura localizada e flacidez. Segundo o Dicionário de Educação Física (BARBANTI 2003), o significado de hipertrofia é o crescimento de uma célula ou de um órgão devido ao aumento do tamanho dos componentes da célula - não é o número de células que aumentam, ou seja, através da hipertrofia, o músculo aumenta de tamanho após um TREINAMENTO DE MUSCULAÇÃO. Pessoas que querem iniciar a prática dessa modalidade, será que basta somente "fazer força", trabalhar os exercícios com MUITA SOBRECARGA para que os estímulos do crescimento muscular aconteçam? Essas adaptações corporais são alcançadas com facilidade?

Embora muitos ainda não acreditam nos benefícios da musculação, o treinamento de força gera respostas muito contundentes para a estética, saúde e reabilitação - durante o processo, para que ocorram respostas aos estímulos, os músculos respondem através da AÇÃO NEURAL, isto é, essa adaptação se torna predominante durante as fases iniciais do treinamento de força, com isso, SOMENTE NAS FASES INTERMEDIÁRIAS E AVANÇADAS é que as ADAPTAÇÕES MUSCULARES TERÃO UMA PREDOMINÂNCIA - os fatores hipertróficos serão notados com mais clareza. Aqueles que apreciam a musculação e desejam praticá-la, a grande adaptação preliminar é a NEUROLÓGICA - a força é caracterizada pela habilidade do sistema nervoso de ativar os músculos envolvidos em movimentos específicos, sendo que para o controle neural destes músculos, durante exercícios de treinamento de força, pode ser muito intrínseca; daí, os ganhos de força, originam-se dentro do sistema nervoso pelo fato da ocorrência das adaptações neurais. Um estudo realizado com indivíduos DESTREINADOS realizando um programa de treinos de força progressivo por oito semanas (ACSM 2001) mostrou uma boa relação das adaptações neurais com as atividades de contração dos músculos para ganhos de massa muscular - O Sistema Nervoso Central (SNC ) tem uma GRANDE CONTRIBUIÇÃO HIPERTRÓFICA para os iniciantes, com ganhos de até 40% de força.

NÃO BASTA APENAS SOBRECARGA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O importante nessa fase inicial é a aquisição das chamadas coordenações INTRA e INTERMUSCULARES, consequentemente o desenvolvimento de sincronização, nível de estimulação neural e RECRUTAMENTO DE UNIDADES MOTORAS. Após a ocorrência desses fatores neurais, dá-se início aos fatores hipertróficos. Assim torna-se necessária a ocorrência das adaptações neurais e, conseqüentemente, ganhos de força.

A melhora da ativação das unidades motoras é justamente o que possibilita uma das primeiras alterações adaptativas no sistema neuromuscular. Quanto à melhoria das funções intramusculares, o aumento da capacidade de um músculo em mobilizar um maior número de Unidades Motoras, causa aumento da capacidade de se desenvolver força de contração. Quase simultaneamente com esse efeito é necessário ocorrer ajustes entre as MUSCULATURAS ENVOLVIDAS NUM ATO MOTOR, ou seja, fazer com que tal movimento mobilize eficientemente tal músculo ou um grupamento específico - a cooperação de diversos músculos em relação a uma seqüência que se tem em vista.

 

Já que todo o movimento humano é controlado e regulado pelo Sistema Nervoso Central (SNC), quanto maior for a ativação neural no intuito de conseguir recrutar o maior número de unidades motoras de forma sincronizada, maiores as chances do praticante ter no futuro um bom respaldo muscular conseguindo um corpo, além de mais forte, mais estético. O treinamento de força progressivo é essencialmente necessário para que desenvolva melhorias na sincronização das unidades motoras, conseqüentemente, melhor ativação dos motoneurônios. A força muscular aumentada, apresenta total importância para todas as populações, do destreinado ao treinado e do jovem ao idoso.



Escrito por Rogério Pedroso às 14h29
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O conhecimento científico e a relevância para o TREINAMENTO

Muitos adeptos da prática de exercícios físicos, principalmente indivíduos que apreciam o treinamento com pesos (musculação), conseguem alcançar os seus objetivos com mais rapidez e eficiência do que outros que possuem grandes dificuldades ou para perder peso, ou para ganhar massa muscular (objetivos mais comuns dos praticantes) - falando da hipertrofia, existem pessoas que adquirem mais volume e tônus muscular em meses do que outras estagnadas naquele biotipo franzino em anos de treino. Isso acontece devido a cada ser humano possuir a sua genética, o seu biotipo, o seu metabolismo, o seu tipo de fibra muscular (fibras de contração lenta a chamada tipo I e as de contração rápida tipo II), ou seja, a sua INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA - essa diferença existente entre as pessoas, em relação à carga genética e as experiências adquiridas após o nascimento, é que traduz um dos principais princípios do treinamento físico onde ninguém é idêntico corporalmente, logo, cada um tem uma resposta a um estímulo, seja de força, de resistência, etc.

Entendo que o ponto fraco da Educação Física no sentido do profissional ensinar um movimento (específico ou não) é que, para indivíduos com consciência corporal mais apurada (alunos dinâmicos e coordenados) se torna mais fácil o aprendizado, gerando totais condições dos mesmos transmitirem a mesma idéia para quaisquer outras pessoas e ainda se julgarem no direito de conhecedores do assunto também - nesses anos de profissão, observo na sala de musculação muitos alunos que são praticantes a muitos anos ou nem tanto assim (ambos os casos se tratam de alunos que idolatram o corpo servindo de modelos para admiração dos demais frequentadores) tentarem passar exercícios ou até mesmo uma programação, incluindo nutrição, mudanças de hábitos e até mesmo o oferecimento de anabolizantes, tudo isso já experimentado e executado pelos símbolos da "perfeição" (via de regra, os resultados realmente aparecem para essas pessoas), só que existem incógnitas: aquele exercício que fulano acha o melhor para tal segmento muscular vai produzir a mesma adaptação para todos os praticantes? aquela sequência de aparelhos que ciclano argumenta como exemplo a ser seguido vai estabelecer um modelo perfeito de treino para todos os praticantes? aquela refeição que beltrano diz que é sensacional para tal finalidade vai assegurar um bom funcionamento do organismo para todos os praticantes? como que fica a análise do aluno quanto ao biotipo, ao histórico de treinamento, as patologias existentes ou não, a frequência semanal de treinos, ao objetivo almejado, ao horário de prática e sua alimentação, enfim, a parte pedagógica existe em cada ponto da programação do treinamento físico que tem como instrumento de ensino profissionais capacitados e detentores do saber científico que a área de Educação Física também faz valer como ciência.

 

No passado, o conceito de treinamento era exclusivo dos esportes e os estudos concentrados em resolver os problemas do esporte de elite e apresentavam características de trabalhos com aspectos aplicados. Nos anos recentes, o treinamento se disseminou além da elite esportiva para várias outras áreas e se tornou uma parte normal de um estilo de vida ativo de muitas pessoas. Houve um considerável aumento do conhecimento teórico e prático sobre o processo de treinamento - com a procura de melhores resultados, se começou a olhar de forma mais atenta e sistemática não só o movimento, mas o por detrás dele - pesquisas orientadas para o treinamento das capacidades motoras têm mostrado uma grande variedade de resultados com grande significado, exemplo: pesquisas sobre a força motora mostra o desenvolvimento do conhecimento científico voltado ao estudo das diferentes formas de organização de programas de treinamento (periodização), do esclarecimento dos mecanismos responsáveis pela hipertrofia, dos efeitos dos diferentes tipos de contração, e da utilização do treinamento de força na melhoria da qualidade de vida da população de idosos. O simples fato de executar exercícios de treinamento de força não garante ganhos ótimos de força e hipertrofia, pois a organização dos programas deve existir controlando variáveis como intensidade, volume, intervalo de recuperação e frequência de treinamento - então você praticante ou interessado em treinar de maneira orientada e direcionada, não se deixe influenciar por esses "ratos" de academia que não possuem respaldo técnico e, muito menos, o SABER LITERÁRIO de um professor de musculação .

 



Escrito por Rogério Pedroso às 14h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




CORE CONTROL na Italy - A PRIMEIRA

ACADEMIA ITALY em São Bernardo do Campo-SP e sua primeira aula de CORE CONTROL em 2011:

 

 



Escrito por Rogério Pedroso às 14h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O termo ACADEMIA DE GINÁSTICA: origem e história

A associação do termo "Academia de Ginástica" corrobora, nos dias atuais, o significado especial de que se trata de um centro especializado em avaliar, prescrever e orientar a prática de exercícios físicos, claro que, sob supervisão DIRETA DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Agora, para analisar como que esse termo alcançou tal representação, é curioso estudar a etimologia, ou seja, verificar a origem e formação dessas palavras, pois as expectativas e evidências científicas demonstram que a ativdade física é parte integrante da vida humana.

AKADEMÍA é um termo grego (deriva de AKADÈMOS, nome de um jardim em Atenas, inspirado em um herói grego mitológico, onde Platão ministrava suas aulas de filosofia), que por sua vez, se transforma em ACADEMIA como termo latino. Chegou a significar uma seita de filósofos acadêmicos da escola platônica de filosofia, escola de ensino superior, ou a coorporação de sábios, artistas ou literatos, ou coorporação dos estudantes de qualquer estabelecimento de ensino médio ou superior, ou mesmo um sarau instrutivo e recreativo - daí mencionar que para um ou outro povo, existiu vários significados.

Já o termo latim GYMNASTICA, originado do grego GYMNASTIKÉ, é resultado de uma terminologia antiga para o que hoje chamamos de ginásio - GYMNASTICUS latino e o GYMNÁSTICOS grego, isto é, local onde se praticavam exercícios físicos. As palavras gregas têm origem em GYMNOS, que significa sem roupa, nu, ou com muito menos roupas do que costumava usar no cotidiano - isso corresponde que os gregos antigos praticavam exercícios físicos sem suas togas ou trajes do dia-a-dia, fazendo-o completamente sem roupa ou com o mínimo possível.

Grécia e Roma no auge do Império já tinham presentes nos seus cotidianos a atividade, o exercício físico e o esporte com envolvimento em competições, aspectos militares e até mesmo atividades circenses. A atividade física já era obrigatória na Idade Média com o surgimento das Universidades e Escolas (corpo e mente em harmonia) - no Renascimento havia a preocupação com a arte, a estética e o belo, surgindo o ideal com exigências de um homem forte com antevisão na área política, discernimento na área social e firmeza na atividade física. A preocupação da Educação Física como ciência se valeu na Idade Moderna agregando novos dados no campo da Fisiologia, da Pedagogia e das técnicas de desenvolvimento corporal. Mais adiante na Idade Contemporânea, o corpo funcional para batalha ainda prevalecia nos períodos de Guerras Mundiais, principalmente na Primeira - com o fim das mesmas, a prática da atividade física para a concretização de uma hegemonia física, muitas vezes vista nas Olimpíadas, era o objeto de desejo, só que, com o crescimento das cidades, diminuiam-se os espaços livres e abertos levando a uma sedentarização da população (avanços tecnológicos, estilo de vida menos ativo, operários com precárias condições físicas gerando problemas motores e posturais) - a partir dái, passou-se a ser mais importante os exercícios que visavam a totalidade e não só aqueles com finalidades militares, e junto com outros fatores como nutrição adequada e mudança de hábitos, a saúde vinha em primeiro lugar. Surgiam mais tarde várias doenças que acometiam o homem moderno, a Obesidade por exemplo. No Brasil, já se estudava a prática esportiva em épocas republicanas, em 1925, ficando a cargo da polícia e da marinha a formação de especialistas em Educação Física (Rio de Janeiro) - por volta de 1967, a prática física aumentava com o aparecimento de campanhas promocionais, numa tentativa de unir o esporte à mídia, para tentar transformar sedentários em praticantes - aparecia as ACADEMIAS, ou seja, lugares fechados pelo fato dos perigos locais nas ruas, parques e praças públicas, e espaços pequenos, tendo a GINÁSTICA CALISTÊNICA (todos os praticantes executavam o mesmo movimento, ao mesmo tempo e no mesmo ritmo) como ponto forte - nas décadas de 70 e 80, o termo "Fitness" ganhava pulso forte traduzido como aptidão, o "mexa-se" não tendo a idéia de competição, mas aumentar de forma mais saudável e proveitosa o nível de qualidade e longevidade da vida do cidadão comum; época das grandes academias com a preocupãção maior em oferecer um espaço amplo, com as últimas novidades em atividade física, atenção à estrutura física, visual, etc, aparecia a GINÁSTICA AERÓBICA como mola propulsora da atividade física em academias, logo, despertava-se o interesse pelos programas aeróbicos por parte dos profissionais de Educação Física e, devido a grandes resultados, o investimento nestes verdadeiros clubes de atividade física orientada passou a ser visto pelos empresários com bons olhos, especialmente nas áreas de ginástica e musculação.

Acredita-se que as academias de ginástica possam conquistar um papel de relevância em uma sociedade que busca segurança, conforto e supervisão das atividades praticadas. Elas são centros especializados (empresas) que, com fim lucrativo, disponibilizam instalações e pessoal adequado para promover o exercício de forma apropriada, atendendo os anseios de seus clientes - não só as academias, como também os clubes, os hotéis, os condomínios, as clínicas de reabilitação, os hospitais e os spas, são estabelecimentos enquadrados nessas observações.

Ganhando espaço com a ginástica, o treinamento de MUSCULAÇÃO em academias que fazem uso de medidas de manutenção é extremamente seguro, porém, mesmo se o ambiente lhe ofereça toda a estrutura promovendo um alto nível de beleza deixando de lado os bons profissionais e respectivas técnicas adequadas de treinamento, os equipamentos passam a possuir o mesmo risco de provocar lesões quando comparados à falta de manutenção. Portanto, FIQUEM LIGADOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



Escrito por Rogério Pedroso às 14h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A influência da PERSONALIDADE em situações de EXERCÍCIO

O conhecimento da personalidade, principalmente a adulta, é de extrema validade para apurar realmente os motivos que encaminham os indivíduos a procurar o exercício físico como algo importante na vida e, também para conhecer as causas que conseguem ou não mantê-los nessas atividades, seja na academia, seja em outro centro esportivo. Saber o porque do nível de motivação ser tão alto no início dos treinamentos, com queda acentuada depois de poucos meses pode ser influenciado não só pelo baixo nível de condicionamento físico que muitas vezes é complicado de modificá-lo - o papel da personalidade humana pode ter relevância nesse questionamento analisando características como estabilidade emocional, autodomínio, extroversão, comunicação social, força de vontade, ou seja, tópicos que muitos indivíduos, dentro ou fora da academia, não conseguem desenvolvê-los - no dia-a-dia do treino pode surgir falta de paciência ao receber orientações de professores, mau humor ao conhecer e odiar as dificuldades impostas de uma aula de ginástica ou movimentação de um exercício, nervosismo diante de um fato constrangedor, inveja de outras pessoas devido a não estar enquadrado nos padrões de beleza da sociedade, enfim, inúmeras hipóteses.

A personalidade tem caracterísiticas próprias a cada um facilitando a distinção das pessoas e não confundindo-as, de acordo com seus hábitos motores, motivações psíquicas e relacionamento interpessoal, logo, todas as experiências vividas e armazenadas no decorrer da vida são fatores básicos que devem ser observados.

Analisando o desenvolvimento humano, existem os chamados ESTÁGIOS DA VIDA apontados por vários estudiosos, isto é, são aqueles que começam na infância se prolongando até a "idade da sabedoria", o período da velhice. O crescimento físico está completo no final da adolescência, contudo, podemos dizer que a IDADE ADULTA JOVEM é o ponto de partida do conhecimento da personalidade dos iniciantes da prática "fitness" em academias, pois se enquadram nessa classificação jovens de 18 até chegar aos 40 anos (geralmente se iniciava a procura pelas academias nesse período, embora, hoje em dia, adolescentes de 13 anos em diante já tem o interesse, atitude não aprovada por mim , devido ao aspecto da ansiedade atrapalhar em muitos pontos, daí, muitos desses adolescentes passarem a ser "alvos fáceis" de opiniões errôneas de adultos que já treinam a muito tempo, sendo assim, as fases do crescimento e desenvolvimento motor poderiam estar comprometidas pela busca frenética do corpo perfeito e musculoso - a solução seria o treinamento com um PERSONAL TRAINER para controlar seus impulsos e direcioná-los para o caminho sadio) - é viável tratar o adolescente nessa fase da vida pelo fato da infância ter, nos dias atuais, um tempo muito mais curto que, por consequência, esses jovens desejam se tornar responsáveis pelos seus atos mais cedo, assim, a ansiedade vinda da busca adolescente de um senso de identidade faz com que se tenha uma capacidade de comprometimento maior com as coisas e pessoas (amizades, relações íntimas com membros do sexo oposto, isso em tese), caso contrário, pode existir um conflito de identidade (isolamento);  à medida que se adentra na idade adulta, um número de alterações fisiológicas e físicas modifica o comportamento, contudo, o importante para a determinação do nível de sucesso experimentado pelo adulto no desempenho de uma tarefa motora é a interação do comportamento motor com algumas variáveis, no caso, a natureza da tarefa (grau de dificuldade, duração e a necessidade de velocidade ou precisão), as condições ambientais e as características cognitivas, afetivas e psicomotoras do indivíduo - sua longevidade depende, em grandes proporções, da escolha do estilo de vida, ou seja, o nível de atividade física, o fumo, o estresse, o abuso de drogas e a dieta alimentar causam impactos no número de anos que se vive - portanto, é verificado na fase inicial da vida adulta um processo de individualização que, por volta dos 40 anos, está num momento de auge e domínio do "relógio social", um período de maior vinculação com critérios externos, a identificação com o papel desempenhado (uma época de lutas ou de oportunidades). A IDADE ADULTA PROPRIAMENTE DITA estabelece o "cuidado" como palavra-chave nesse processo de vida denotando uma espécie de prevenção com o trabalho e relacionamentos familiares, tendo uma diversificação de obrigações e responsabilidades, interesses e celebrações - essas pessoas são tomadas pela produtividade, ou seja, a utilidade que estas atribuem a si mesmas e fornecem à sociedade, contudo, caso percebam a incapacidade para contribuir para a melhora social, a chamada "crise da meia-idade" pode surgir - os estados psicológico e sociológico podem ser afetados pelo nível de atividade física, sendo que fatores como AUTOCONCEITO e RELAÇÕES COM AMIGOS influenciam o compromisso com um estilo de vida fisicamente ativo (ocorre o declínio progressivo no desempenho motor, o decréscimo da força muscular e inabilidade em desempenhar tarefas caseiras). Chegando ao estágio da TERCEIRA IDADE, esse período da velhice pode ser muito conturbado a medida que o idoso pode se sentir satisfeito com a falta do que fazer encarando isso como uma promessa de descanso, ou pode dar força a estagnação tendo a inutilidade como fator gerador de rejeição.

Portanto, adultos mais velhos que mantêm boa saúde e permanecem fisicamente ativos podem melhorar suas circunstâncias de aposentadoria e, ao mesmo tempo, dissipar mitos sobre estereótipos a respeito da velhice. Torna-se viável para todos os PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA conhecer cada indivíduo analisando seu núcleo psicológico (atitudes e valores/interesses e motivações), pois fornece a estrutura necessária para o funcionamento efetivo em sociedade - deve-se considerar a situação e a pessoa como essenciais para a determinação de um comportamento. O desenvolvimento motor, cognitivo, motivacional, social e emocional fazem parte do desenvolvimento da personalidade - é interessante para mim, professor e personal trainer, conhecer a pessoal real e suas formas típicas de respostas, para ENTENDER SUA MOTIVAÇÃO INTRODUZINDO UMA MELHOR FORMA DE AJUDA.



Escrito por Rogério Pedroso às 14h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO BERNARDO DO CAMPO, DEMARCHI, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, English, Esportes, Informática e Internet
Outro -
Histórico
Outros sites
  FOTOS DO ROGER
  NOTA E SUGESTÃO
  Academia Italy
Votação
  Dê uma nota para meu blog